Trivela

Lionel Messi comemora gol pelo Barcelona (Photo by Manuel Queimadelos Alonso/Getty Images)

La Liga

O Barcelona tem sofrido há algum tempo com a ausência de um jogo mais coletivo do seu time. São muitos os problemas, que incluem uma montagem falha do elenco, mas começam a aparecer sinais de melhora. A goleada por 5 a 0 sobre o Espanyol neste sábado trouxe alguns desses elementos, ainda que a diferença técnica para o rival seja muito grande. Lionel Messi apareceu para marcar três gols, todos eles com uma marca do time: a troca intensa de passes. E esta talvez seja a notícia mais importante para o time que estreia na Champions League nesta semana.

LEIA TAMBÉM: Time muito modificado e péssima atuação coletiva pesaram para Real Madrid tropeçar no Levante

Um dos problemas mais sérios que o Barcelona percebeu neste início de temporada é coletivo. Em 2016/17, o time se apoiou no ataque esttelar de Lionel Messi, Luis Suárez e Neymar, mas foi derrotado por times mais coletivos – pelo Real Madrid na liga e Juventus na Champions League. Nesta temporada, sem Neymar, a situação ficou complicada. Os problemas existem, mas o time mostrou sinais de melhora no seu jogo coletivo. E colocando Messi mais perto do gol, talvez depois de ver seu camisa 10 sofrendo para armar as jogadas longe do gol pela seleção argentina.

Foi assim, perto do gol, que Messi conseguiu marcar três gols na partida. O primeiro deles, porém, saiu de uma irregularidade. O atacante argentino estava impedido no lance. Um erro que pesa demais quando se trata de um confronto entre o Barcelona e o Espanyol, ainda mais no Camp Nou. O que anima os torcedores é que a jogada do gol, ainda que Messi tenha recebido em posição irregular, nasceu de uma jogada coletiva, e não de um lampejo individual do seu camisa 10.

O Barcelona atacou com Semedo, que abriu para Deulofeu na ponta direita. Ele devolveu ao lateral português, que recuou para Ivan Rakitic. O meia croata achou um belo passe para Messi, impedido, recebeu dentro da área, fazer a finta no defensor adversário e finalizar com a categoria que lhe é peculiar: 1 a 0, aos 25 minutos do primeiro tempo.

O segundo gol saiu 10 minutos depois. Jordi Alba recebeu pelo lado esquerdo, tocou para Messi, que tentou o drible e viu a bola sobrar para Alba novamente. O lateral cruzou rasteiro para Messi chegar de carrinho e marcar 2 a 0 no placar.

No segundo tempo, o terceiro gol saiu aos 20 minutos. Depois de uma troca de passes pelo meio, com Rakitic tocando para Messi, que de calcanhar passou para Suárez. O uruguaio tabelou com Messi e, dentro da área, cercado por defensores, tocou para Deulofeu na esquerda. O espanhol passou para Messi, no meio da área, finalizar de primeira e marcar 3 a 0. Mais uma vez, jogada coletiva.

Com o placar em 3 a 0, o técnico Ernesto Valverde colocou em campo duas contratações do time na teporada. Promoveu a estreia de Ousmane Dembélé no lugar e Gerard Deulofeu e o brasileiro Paulinho no lugar de Sergio Busquets. Logo depois, tirou também o capitão Andrés Iniesta e colocou André Gomes. Com isso, Rakitic virou primeiro volante, atuando mais atrás, com Paulinho pela direita e André Gomes pela esquerda. E por pouco Paulinho não marcou o seu gol, em um cruzamento para a área que ele apareceu para completar, mas se jogou na bola e não conseguiu tocar para o gol.

O Espanyol não foi muito inteligente ao continuar a dar espaço mesmo perdendo o jogo. O Barcelona chegou ao quarto gol em um escanteio que Piqué cabeceou para a rede. No final, Dembélé recebeu uma bola em velocidade e tocou para Luis Suárez tocar de primeira, deslocar o goleiro e fechar a conta: 5 a 0.

Mais do que o resultado, que deve ser olhado com cautela, o que pode ser um sinal positivo é justamente a forma como o time construiu os gols. O jogo coletivo é o que tornou o Barcelona tão forte, já que as individualidades, por si só, podem ser anuladas até por times mais fracos. O desafio do meio da semana é a Juventus, justamente o time que eliminou os catalães na temporada passada na Champions League. Ali sim, o jogo precisará ser de um nível alto.

Trivela

VOLTAR AO TOPO