Trivela

América do Sul

Miguel Borja, cada vez mais, prova que recupera a sua melhor forma. Desde que Alberto Valentim assumiu o Palmeiras, o atacante tem sido importante para o time. Já nesta terça, ele ganhou uma nova chance com José Pekerman na seleção colombiana. Pela primeira vez desde junho, teve a oportunidade de entrar em campo. E não decepcionou. Tudo bem, o amistoso era contra a China, mas Borja não demorou a mostrar suas qualidades. Entrou apenas no segundo tempo e comandou a goleada por 4 a 0, anotando dois gols. Ganha moral.

Com Carlos Bacca e Duván Zapata no comando de ataque, a Colômbia fechou o primeiro tempo em Chongqing com um gol de vantagem. Felipe Pardo abriu o marcador logo aos seis minutos. Borja substituiu Zapata e, ao lado de Bacca, demoliu os chineses. O atacante do Villarreal fez o segundo, em contra-ataque, antes de servir o palmeirense no terceiro. E que belo gol o camisa 16 anotou, pegando de primeira, na veia, para vencer o goleiro Yan Junling. Já nos acréscimos, Áviles Hurtado avançou com liberdade e só rolou para Borja completar a festa. Foram seus primeiros tentos pela seleção principal.

A má fase em 2017 também afetou Borja na seleção. Nas quatro oportunidades anteriores em que pôde entrar em campo, pouco fez, embora fosse mantido em boa parte das convocações de José Pekerman. E no primeiro sinal de recuperação, ele recompensa a confiança dos Cafeteros. Por seu estilo de jogo, pode ser útil rumo ao Mundial, especialmente se entrar centralizado ao lado de outro atacante, como fez com Bacca. Dá um alento aos palmeirenses não apenas pela boa sequência, mas também de que o clube consiga recobrar ao menos parte do investimento em uma futura venda. A repercussão com a seleção é importante neste sentido.

Trivela

VOLTAR AO TOPO