Trivela

Ibson, do Minnesota United

Colunas

Você se lembra do Ibson, aquele jogador ex-Flamengo, Santos, Corinthians e Porto? Pois é, ele ainda está jogando, com 33 anos, e atua no Minnesota United, clube que estreou este ano na Major League Soccer. Depois de começar os primeiros jogos na reserva, ele acabou virando titular da equipe que ainda faz uma campanha de altos e baixos na liga americana, ocupando apenas a oitava posição na Conferência Oeste.

LEIA MAIS: Beckham consegue direito de construir estádio para sua franquia, mas é só o primeiro passo

Mesmo assim, Ibson é, no momento, o líder em uma estatística na MLS: o ‘usage rate’.

O usage rate é o total de passes que o jogador dá durante 90 minutos de jogo dividido pelo total de passes dados pela equipe. Sendo assim, se uma equipe troca 300 passes em uma partida e um jogador tem média de 30 passes por jogo, o usage rate dele será de 10%. Uma matemática simples, certo?

Pois bem, Ibson é o líder deste fundamento na atual temporada da MLS, com 16,69% de participação nos passes dados por sua equipe. Não é grande coisa, é bem verdade, ainda mais porque ele tem apenas três assistências em 15 jogos disputados e ainda não marcou um único gol – aliás, finalizou apenas seis vezes no ano. Logo, todos esses passes não serviram muito para dizer que ele é um fator determinante dentro de campo para o Minnesota United.

Vale, porém, para dizer que Ibson está na frente de Schweinsteiger, o segundo da lista, em algum fundamento. Outros jogadores que aparecem em destaque na lista são Michael Bradley, do Toronto FC, e Sacha Kljestan, do New York Red Bulls. Ambos, aliás, estão com frequência entre os convocados da seleção americana.

Mesmo que continue um mero desconhecido na MLS e que talvez sua liderança em um fundamento seja breve, Ibson pode guardar este momento. Depois de ter sido preterido no Minnesota em muitas oportunidades, inclusive começando o ano no banco de reservas, sua titularidade parece cada vez mais intocável no clube. Já são 11 partidas seguidas começando como titular. Mesmo que as chegadas na área, famosas em suas passagens pelo Brasil, tenham ficado no passado, o jogador ainda mostra que tem qualidade no passe e pode ajudar o seu clube na MLS.

Trivela

VOLTAR AO TOPO