Trivela

Roberto Firmino, do Liverpool (Foto: Getty Images)

O Liverpool segue cometendo os mesmos erros e, sem nenhuma surpresa, os seus resultados continuam sofrendo por causa disso. Nesta quarta-feira, saiu atrás contra o Sevilla e conseguiu a virada até com certa tranquilidade, e poderia ter feito 3 a 1 se Roberto Firmino não tivesse perdido um pênalti, mas voltou a falhar na defesa e levou o empate. O retorno do pentacampeão europeu à fase de grupos da Champions League terminou 2 a 2.

LEIA MAIS: Guia da Champions League 2017/18

Jürgen Klopp arma sua equipe ofensivamente. Um mérito. Os jogos do Liverpool são frequentemente movimentados, cheios de gols e jogadas plásticas, mas, também, instáveis. Os defensores ficam desprotegidos e esse estilo exige concentração elevada e constante. Como é impossível conquistar qualquer coisa sendo vazado duas vezes por jogo, o alemão tem duas opções: ou usa jogadores acima da média na defesa, para diminuir o índice de erros, aumentar o número de cortes, interceptações e desarmes difíceis, craques na disputa homem a homem, ou muda para um jogo mais cauteloso.

Klopp não tem feito nenhum dos dois. Seu estilo é o mesmo desde o começo da carreira e não será agora que ele mudará. Por outro lado, basta aproveitar a janela de transferências para contratar zagueiros melhores que Matip, Lovren e Klavan. No último mercado, ficou obcecado por Van Dijk, e, diante da recusa do Southampton, não buscou alternativa. A cada partida do Liverpool, que já sofreu 13 gols em sete partidas na temporada, essa decisão parece mais com um erro grave.

Os jogadores, claro, também têm culpa no cartório. Porque, aos 5 minutos de jogo, Escudero cruzou da esquerda, Lovren simplesmente furou ao tentar cortar a bola, e Ben Yedder abriu o placar para o Sevilla. Nenhum sistema defensivo o impediria de fazer isso. O Liverpool rapidamente assumiu as rédeas da partida. Com muito volume de jogo, os donos da casa começaram a criar uma sequência de chances. Can tentou de longe, Mané exigiu boa defesa de Rico, e Firmino abriu o placar.

Alberto Moreno, se ainda peca na defesa, tem melhorado bastante no geral, em relação à temporada anterior, quando foi reserva de James Milner, improvisado no setor. O lateral espanhol fez uma bela tabela com Henderson, foi à linha de fundo e cruzou para Firmino encostar. A pressão que Klopp sempre exige de seus homens de frente resultou no segundo gol: Salah roubou de N’Zonzi e bateu de fora da área; a bola desviou na defesa e enganou Rico.

O Liverpool ainda teve a chance de fazer 3 a 1, quando Mané sofreu pênalti, mas Firmino mandou na trave. Houve outras duas grandes oportunidades desperdiçadas, em lances parecidos, com Can e Moreno aparecendo livres pela esquerda e batendo cruzado. Uma passou perto da trave, a outra foi defendida por Rico.

O ritmo diminuiu no segundo tempo e, embora o Liverpool tenha finalizado mais depois do intervalo, foi menos perigoso, e o Sevilla igualou um pouco mais as ações. Aos 27 minutos, outra falha defensiva, agora coletiva: Muriel recebeu cobrança de lateral, ninguém o pressionou, e Joaquín Correa entrou pelo meio da defesa vermelha para empatar.

Klopp respondeu promovendo o retorno de Coutinho ao Liverpool, depois da negociação polêmica com o Barcelona. O brasileiro foi bem recebido pela torcida de Anfield, aplaudido e tudo mais, mas pareceu uma marcha atrás dos companheiros, ainda travado e sem conseguir dar sequência às jogadas. Nos acréscimos, o clube espanhol quase saiu com a vitória, na enésima demonstração da fragilidade defensiva do Liverpool: em um chutão para a frente, Gomez perdeu no corpo e na técnica para Muriel, que entrou na área e bateu rente à trave de Karius.

O Liverpool não fez um jogo ruim. Controlou a partida, finalizou 24 vezes, criou muitas chances perigosas, e e o ataque poderia ter definido o placar, principalmente no pênalti desperdiçado por Firmino. Mas não se pode cobrar que sejam marcados três gols por jogo. Pode-se, por outro lado, cobrar um desempenho defensivo melhor. E, nisso, o time de Klopp ainda está fracassando com frequência. O Sevilla acertou duas finalizações, marcou dois gols.

Trivela

VOLTAR AO TOPO