Trivela

Simeone, técnico do Atlético de Madrid (Foto: Getty Images)

Grupo C: Roma, Atlético de Madrid, Chelsea, Qarabag

Por:

12 de setembro de 2017 às 1:51

COMPARTILHE 0

Por Felipe Lobo

O campeão inglês Chelsea não teve moleza na sua volta à Champions League. Terá como adversário pela vaga o Atlético de Madrid, que se tornou uma carne de pescoço para qualquer adversário, mesmo para os melhores. O time de Diego Simeone não pôde contratar por causa da punição que sofreu, mas continua sendo um time forte.

Além dos dois, a Roma, que, convenhamos, não costuma ter lá muita sorte quando falamos em sorteios da Champions. Os romanistas terão que se mostrar muito fortes se quiserem uma vaga no mata-mata. O futebol para isso o time tem, mas terá que se igualar a duas equipes que, teoricamente, são melhores. O quarto elemento do grupo é um completo franco-atirador. O Qarabag é o primeiro clube do Azerbaijão a chegar à desejada fase de grupos da Champions League. Tentará fazer história, mesmo sabendo que é o grande favorito à lanterna do grupo e qualquer ponto será comemorado.

Jogador-chave

Antoine Griezmann (Atlético de Madrid)

Antoine Griezmann, jogador do Atlético de Madrid (Foto: Reprodução)

Antoine Griezmann, jogador do Atlético de Madrid (Foto: Reprodução)

Eleito terceiro melhor do mundo em 2016, Griezmann ficou no Atlético de Madrid muito possivelmente pela proibição que o clube teve de contratar jogadores. Em um time que se caracteriza pelo jogo coletivo e a dedicação acima da média, um ato de lealdade. Tudo isso para dizer: Griezmann é o maior talento dos colchoneros comandados por Diego Simeone.

O time do Atlético tem o seu brilho coletivo e o funcionamento organizado, mas é Griezmann quem mais tem capacidade de decidir jogos. Se o time estiver bem na defesa, como esteve nos últimos anos, e for capaz de produzir chances, ele é o jogador que pode fazer do Atlético de Madrid o leão que se tornou nos últimos anos, sempre nas fases decisivas da Champions.

A contratação

Álvaro Morata (Chelsea)

Morata, principal contratação do Chelsea (Photo by Dan Mullan/Getty Images)

Morata, principal contratação do Chelsea (Photo by Dan Mullan/Getty Images)

Uma contratação de € 62 milhões inevitavelmente chega com expectativa. Álvaro Morata, com seus 24 anos, chegou para vestir a camisa 9 e ser o que se espera que ele seja há tantos anos, desde que era só uma promessa nas categorias de base do Real Madrid. A missão pesa ainda mais porque ele substitui Diego Costa, um dos principais atacantes do mundo. O início de temporada do espanhol é bom, mas ele terá muito a provar. Ao mesmo tempo, mesmo tendo sido uma contratação cara (que acabou ofuscada por outras ainda maiores na janela), é um jogador que se encaixa muito bem na proposta de jogo do Chelsea. É um atacante inteligente, que se movimenta, sabe tabelar bem, é rápido e bom finalizador. Há muito potencial. Morata precisa trilhar o caminho que parecer estar à frente dele.

Fique de olho

Radja Nainggolan (Roma)

Radja Nainggolan, da Roma (Photo by Paolo Bruno/Getty Images )

Radja Nainggolan, da Roma (Photo by Paolo Bruno/Getty Images )

O meio-campista foi um dos principais jogadores da Roma e do Campeonato Italiano na temporada passada. O bom desempenho do time, agora comandado por Eusebio di Francesco, passa muito pelos pés do jogador, de 29 anos. Atuando no centro do meio-campo, ele é importante tanto na marcação, sendo implacável (e às vezes um pouco violento) quanto na criação de jogadas, com um excelente chute de fora da área e uma grande visão de jogo.

O brasileiro

Pedro Henrique (Qarabag)

Pedro Henrique - 27 anos, Qarabag: O gaúcho revelado pelo Caxias passou pelo Zurique e pelo Rennes, da França, antes de chegar ao Paok, no último mês de janeiro. Até jogou algumas vezes (19), mas foi emprestado ao Qarabag, que fez história chegando à fase de grupos da Champions.

Pedro Henrique, ainda pelo PAOK

Aos 27 anos, Pedro Henrique é um dos muitos brasileiros que aparecem na Champions League. Gaúcho de Santa Cruz do Sul, começou na base do Grêmio, passou pelo Caxias e de lá foi para a sua aventura na Europa. Começou no Zurich, da Suíça, passou ao Rennes e em janeiro deste ano foi para o PAOK, da Grêcia. Foi emprestado ao Qarabag nesta temporada. Terá três grandes adversários e três grandes palcos para mostrar a que veio.

A história

Foi contra um inglês que a Roma teve uma das suas maiores tristezas em competições europeias. Em 1983/84, o time foi à Copa Europeia como campeão italiano da temporada anterior. A equipe que tinha Paulo Roberto Falcão entre suas estrelas, além de Toninho Cerezo e o artilheiro Roberto Pruzzo, chegou à final, que, coincidentemente, seria no estádio Olímpico de Roma. O adversário? O Liverpool de Ian Rush e Kenny Dalglish. Depois do 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação, a decisão do título veio só nos pênaltis. Veio a derrota por 4 a 2 e a chance de ser campeão, e em casa, se esvaiu.

Trivela

VOLTAR AO TOPO