Trivela

Grupo E: Sevilla, Liverpool, Spartak Moscou, Maribor

Por:

12 de setembro de 2017 às 0:25

COMPARTILHE 1 0

Por Bruno Bonsanti

Um grupo para tranquilizar as torcidas dos dois times mais fortes da chave. O Sevilla, um leão na Liga Europa, teve problemas recentes para passar às oitavas de final. Em 2015/16, por exemplo, ficou em terceiro, atrás de Manchester City e Juventus. Agora, tem uma boa possibilidade de chegar ao mata-mata pelo segundo ano seguido. O Liverpool está de volta à competição que ganhou cinco vezes. É apenas a segunda participação desde 2009/10. Na anterior, foi eliminado na fase de grupos. Precisa tomar cuidado com o Spartak Moscou, porque naquela ocasião também ninguém dava bola para o Basel, mas, mais sólidos, os ingleses devem brigar com os espanhóis pela primeira colocação do grupo, com os russos em terceiro. O esloveno Maribor brinca de franco atirador.

Jogador chave

Philippe Coutinho (Liverpool)

Coutinho, do Liverpool (Photo by Jan Kruger/Getty Images)

Coutinho, do Liverpool (Photo by Jan Kruger/Getty Images)

A novela terminou. Philippe Coutinho ficou no Liverpool, que recusou três propostas do Barcelona pelos serviços do brasileiro, que ainda não estreou na temporada do clube inglês. Uma dor nas costas o impediu de atuar nas partidas anteriores à pausa internacional, mas não o atrapalhou de jogar as duas rodadas das Eliminatória Sul-Americanas com a camisa da seleção brasileira. Reintegrado, Jürgen Klopp o deixou de fora do confronto com o Manchester City, no último sábado, para que ele recuperasse o tempo perdido nos treinamentos. E prometeu usá-lo normalmente no decorrer da temporada. Muito técnico, inteligente, capaz de acertar chutes improváveis de longa distância e dar passes imprevisíveis, caso esteja comprometido com o Liverpool, Coutinho pode ser a diferença para uma boa campanha na Champions League, um torneio muito afeito aos detalhes.

A contratação

Éver Banega (Sevilla)

Banega, do Sevilla (Foto: Getty Images)

Banega, do Sevilla (Foto: Getty Images)

Banega teve duas grandes temporadas com a camisa do Sevilla, bicampeão da Liga Europa, e um dos principais jogadores do time de Unai Emery. Ao fim de seu contrato, saiu para a Internazionale e foi engolido pelo vórtex do caos da última temporada dos italianos. Terminou a Serie A no banco de reservas, e Luciano Spalletti não fez força para segurá-lo diante de uma proposta do Sevilla. Por € 9 milhões, o argentino de 29 anos retornou ao Ramón Sánchez para, agora, tentar brilhar na Champions League.

Fique de olho

Sadio Mané (Liverpool)

Sadio Mané, jogador do Liverpool (Foto: Paul Harding/AP Images for International Champions Cup)

Sadio Mané, jogador do Liverpool (Foto: Paul Harding/AP Images for International Champions Cup)

Durante o processo de negociação de Coutinho com o Barcelona, houve muitas análises da imprensa inglesa de que o Liverpool até poderia abrir mão do brasileiro porque o principal jogador do time era, na verdade, Sadio Mané. O senegalês voou pela ponta direita na última temporada, marcando 13 gols em 27 rodadas da Premier League. Com a contratação de Salah, foi deslocado à esquerda, e continua muito bem: marcou nas três primeiras rodadas do Campeonato Inglês. Na quarta, foi expulso no final do primeiro tempo, na goleada por 5 a 0 para o Manchester City. Deve ficar fora de alguns jogos da liga, mas está pronto para ajudar os Reds na Champions League.

Brasileiro

Luiz Adriano (Spartak Moscou)

Luiz Adriano, do Spartak Moscow (Foto: Getty Images)

Luiz Adriano, do Spartak Moscow (Foto: Getty Images)

O Spartak Moscou conta com um jogador que conhece a Champions League muito bem para tentar surpreender. Luiz Adriano, com a camisa do Shakhtar Donetsk, marcou 21 gols em 45 jogos pela competição. O pulo para o Milan não deu certo. Marcou apenas seis vezes pelo clube italiano e retornou ao leste europeu para defender o clube russo no último mês de janeiro.

História

O Spartak Moscou ficou muito próximo de alcançar sua primeira final europeia na Recopa de 1992/93, quando foi derrotado pelo Royal Antuérpia, nas semifinais, com o gol da eliminação sendo marcado, de pênalti, aos 33 minutos do segundo tempo do jogo de volta. No caminho, despachou o Liverpool categoricamente nas oitavas de final, com duas vitórias: 4 a 2 na Rússia e 2 a 0 em Anfield. Era o começo da decadência dos Reds, que haviam acabado de receber o pedido de demissão de Kenny Dalglish e estava no começo do fracassado reinado de Graeme Souness.

Trivela

VOLTAR AO TOPO