Trivela

Cristiano Ronaldo, do Real Madrid (Foto: Getty Images)

Grupo H: Real Madrid, Borussia Dortmund, Tottenham e Apoel

Por:

12 de setembro de 2017 às 7:35

COMPARTILHE 0

Por Leandro Stein

O Real Madrid merece todo respeito por aquilo que construiu na Liga dos Campeões durante as últimas temporadas. Atual bicampeão e dono de três taças em quatro anos, o favoritismo é inerente aos merengues, ainda mais com Cristiano Ronaldo sedento por mais gols no comando do ataque. Todavia, desta vez as dificuldades serão grandes desde a fase de grupos. Não será por osmose que os espanhóis se classificarão, em um grupo que já guarda dois bons desafios para as primeiras rodadas. Se Zinedine Zidane conta com um dos melhores ataques do mundo, terá que medir forças também contra dois oponentes bastante ofensivos, cheio de jogadores jovens e sem muito a perder no duelo contra os madridistas. É preciso manter os pés no chão, apesar de tudo.

O Borussia Dortmund já demonstrou o seu potencial na temporada passada, aliás. Velhos conhecidos do Real Madrid, os aurinegros deixaram os campeões na segunda colocação da chave. Todavia, naquela ocasião, Sporting e Legia Varsóvia atuaram como meros sparrings do grupo. O Apoel Nicósia pode até repetir este papel, mas não dá para esperar o mesmo do Tottenham, pela pressão de uma campanha mais consistente no torneio continental – depois da decepção vivida na temporada passada, quando tiveram que se contentar com a repescagem à Liga Europa. Ainda falta um pouco mais de profundidade ao elenco dos Spurs, especialmente pelo ritmo forte que também precisam tentar acompanhar na Premier League. Mas a qualidade é evidente.

Pelo nível técnico e pela experiência no torneio, o Real Madrid está um passo à frente na briga pela classificação, ainda que a exigência sobre a sua rotação seja grande. O Borussia Dortmund precisa driblar os frequentes problemas de lesão, enquanto tenta encaixar o seu novo ciclo sob as ordens de Peter Bosz. Por fim, o Tottenham tem um dos times mais vistosos da Europa, ainda que a falta de resultados contra adversários do resto da Europa gere desconfianças. Será briga de cachorro grande.

Jogador chave

Harry Kane (Tottenham)

Kane comemora pelo Tottenham (Photo by Jan Kruger/Getty Images)

Cristiano Ronaldo que me desculpe, mas seu potencial para marcar gols à rodo na Liga dos Campeões todos nós já conhecemos. Quem pode ser muito bem o fiel da balança em um grupo tão parelho quanto o H é Harry Kane. O centroavante do Tottenham possui uma responsabilidade imensa nas costas, considerando a frustração vivida por seu clube na última edição do torneio. E os Spurs continuarão atuando em Wembley, onde não conquistaram grandes resultados ao longo dos últimos tempos. A aclimatação da equipe de Mauricio Pochettino no estádio será essencial, assim como o faro de gols de seu artilheiro, tão preponderante não apenas para balançar as redes, como também para auxiliar no funcionamento do restante da engrenagem.

Passado o pesadelo de agosto, Kane também precisa melhorar seus números na Champions. Foram dois gols em três partidas na última campanha, mas que pouco serviram aos londrinos. Todavia, vale lembrar que o inglês se ausentou justamente nos confrontos decisivos com o Bayer Leverkusen, nos quais os deslizes do Tottenham cobraram seu preço. Com o camisa 10 saudável desta vez, a torcida espera que sua fome de gols vista na Premier League se mantenha intacta. Serão testes importantes até mesmo ao futuro do jogador de 24 anos, podendo se afirmar contra potências de outros países no maior dos campeonatos do continente.

Contratação

Andriy Yarmolenko (Borussia Dortmund)

Yarmolenko é apresentado no Borussia Dortmund (foto: divulgação)

Muita gente se perguntava até quando Yarmolenko manteria a sua fidelidade ao Dynamo Kiev. Sem dúvidas, a dedicação do ponta ao clube de coração era algo louvável. Mas todos sabiam de seu potencial para ambicionar mais. Para, enfim, se provar em uma das grandes ligas do continente. Não foi a guerra civil que o afastou da Ucrânia. E quando decidiu sair, às vésperas de completar 28 anos, o Borussia Dortmund pareceu cair como uma luva. Em um clube no qual os jogadores do leste europeu costumam fazer história, o novato veio com moral e soou como pechincha, ainda mais depois da polpuda venda de Ousmane Dembélé ao Barcelona.

Haverá uma adaptação necessária a Yarmolenko. Ainda assim, suas chances de ser bem aproveitado por Peter Bosz no Signal Iduna Park são bem altas. É um jogador que combina técnica com potência física, sabe marcar gols e cria jogadas aos companheiros. Vai contribuir ao estilo ofensivo dos aurinegros, bem como adiciona tarimba a um elenco relativamente jovem. Só que o nível de exigência não será baixo. Considerando a transição vivida pelo Dortmund, será preciso manter a regularidade para conquistar a classificação aos mata-matas.

Fique de olho

Dani Ceballos (Real Madrid)

ceballos

Entre as apostas que o Real Madrid vem realizando nos últimos tempos, Dani Ceballos promete bastante. O meio-campista de 21 anos já tinha mostrado bastante com a camisa do Betis, mas não deixou dúvidas sobre o seu potencial durante o Campeonato Europeu Sub-21. Apesar do vice-campeonato da Espanha, o garoto acabou eleito como o melhor jogador do torneio, muito por sua capacidade de transitar por toda a intermediária e enfileirar os adversários com seus dribles. Será preciso paciência para cavar o seu lugar no Bernabéu, até mesmo pela concorrência em seu setor. De qualquer maneira, surge como uma carta na manga de Zinedine Zidane para os próximos anos.

Brasileiro

Casemiro (Real Madrid)

Casemiro, do Real Madrid (Foto: Getty Images)

Desde que Zidane assumiu o comando do Real Madrid, Casemiro se firmou como o ponto de equilíbrio da equipe. E o brasileiro, mais do que beneficiar Luka Modric e Toni Kroos para saírem ao jogo, também tem mostrado os seus predicados além do beabá de um volante. Continua fazendo o seu serviço pesado, de marcar incessantemente e passar com segurança. Entretanto, as aparições ofensivas ajudam bastante os merengues, com belos e importantes gols anotados nos últimos meses. Foram dois nos mata-matas da Liga dos Campeões, além de mais um contra o Manchester United na Supercopa Europeia, em uma atuação bastante solta do camisa 14.

Aos 25 anos, Casemiro mantém a sua presença física, mas ganha bastante em maturidade e experiência. Visivelmente sabe melhor escolher suas ações no jogo, combinando o bom posicionamento com um tempo de bola ótimo. E agora aproveitando estes predicados para ocupar os espaços um pouco mais à frente. Se os madridistas ambicionam uma classificação sem sobressaltos, o volante mais uma vez poderá desequilibrar, mesmo que seu trabalho muitas vezes passe despercebido.

História

São 12 jogos entre Real Madrid e Borussia Dortmund pela Champions, oito deles nos últimos cinco anos. E a rivalidade já começou grande, nas semifinais em 1997/98. Atual campeão, o Borussia Dortmund não vivia uma temporada tão boa, mas ainda tinha uma equipe forte. O Real Madrid, por outro lado, vinha em ascensão e buscava quebrar a seca no torneio que durava 32 anos. Preponderou a vontade merengue, que decidiu o confronto logo no Santiago Bernabéu. Fernando Morientes e Christian Karembeu anotaram os gols, antes do empate zerado no Westfalenstadion. Na decisão, Predrag Mijatovic garantiu a história contra a Juventus.


1998 (April 1) Real Madrid (Spain) 2-Borussia… por sp1873

Trivela

VOLTAR AO TOPO