Trivela

O Manchester City é um dos cinco times ingleses na Champions League nesta temporada e o seu técnico, Pep Guardiola, não minimizou: disse que não ir longe nesta competição será, sim, um fracasso. Os ingleses não têm conseguido sucesso no torneio e o desempenho do próprio City de Guardiola na última temporada acabou sendo decepcionante. O técnico catalão não foge da responsabilidade.

LEIA TAMBÉM: Mourinho coloca Manchester United no segundo escalão de favoritos da Champions

José Mourinho falou nesta terça-feira, após a vitória do Mancheter United sobre o Basel, que três times são os favoritos à Champions League: Real Madrid, Barcelona e Bayern de Munique. E mais do que isso, que os ingleses tentam sobreviver ao pesado calendário de fim de ano para chegarem vivos na competição europeia em fevereiro, quando começam os mata-matas.

“Estou falando por mim mesmo, não posso falar pelos outros quatro times na Champions League, se não vencermos ou tivermos um bom desempenho será um fracasso”, afirmou o treinador em coletiva de imprensa pré-jogo, nesta terça-feira. O Manchester City estreia contra o Feyenoord, em Roterdã. “Eu sei disso. Eu aprendi desde o começo. Eu tenho que aceitar isso. Eu posso lidar com isso. Espero que os jogadores entendam”, continuou.

Duas vezes campeão da Champions League pelo Barcelona, o técnico experimentou as críticas por nunca ter levantado a taça pelo Bayern de Munique nos seus três anos. No seu primeiro ano no Manchester City, caiu nas oitavas de final diante do Monaco, que iria até a semifinal. E Guardiola acredita que os seus jogadores precisam de experiência jogando a Champions League pelo clube e também atuando em jogos pelas suas seleções, de alto nível internacional.

“O passo para os times ingleses e as seleções nacionais é fazer isso, ganhar uma ou ficar perto e então dizer: ‘Ok, wow, nós estamos aqui’”, disse ele. “A única diferença no Barcelona e Bayern de Munique é que os jogadores atuaram na Champions League muitas vezes mais que os jogadores do Manchester City neste momento. Então, esta é a única diferença”, analisou o técnico.

O zagueiro John Stones estava ao lado do técnico na coletiva e foi usado como exemplo. “John, você jogou quantas vezes na Champions League? 10? Os jogadores no Barcelona e no Bayern de Munique atuaram mais de 100, ou 80”, afirmou. “Busquets, Xavi, Messi, Müller ou Philipp Lahm, Xabi Alonso, eles jogaram 70 ou 80 vezes, essa é a diferença”, declarou.

“Eu não vou dizer que John não está no nível de Gerard Piqué, por exemplo, ou Jerome Boateng ou outros jogadores. Ele tem a qualidade. Ele é um grande jogador. Se não fosse, não estaria aqui. Mas a única coisa é que os outros jogadores viveram essa situação mais vezes no passado”, continuou o treinador.

O Manchester City está no Grupo F da Champions League com o Feyenoord, campeão holandês, Shakhtar Donetsk, campeão ucraniano, e o Napoli, terceiro colocado no Campeonato Italiano.

Trivela

VOLTAR AO TOPO