Trivela

Argentina

Jorge Sampaoli não teve um início de jornada tão tranquilo com a Argentina, sob sérios riscos nas Eliminatórias. Mesmo assim, apesar dos empates dolorosos na campanha, que por pouco não custaram a vaga na Copa do Mundo, o treinador permanecia invicto à frente da Albiceleste. Permanecia, no passado. Nesta terça, os argentinos enfrentaram a Nigéria, em amistoso disputado na cidade russa de Krasnodar. Pareciam prontos para assegurar uma vitória fácil, abrindo dois gols de vantagem ainda no primeiro tempo. Mas permitiram a virada. Em um “apagão de três minutos”, deixaram que as Super Águias ganhassem por 4 a 2, em derrota causada por uma série de falhas defensivas – uma preocupação evidente ao treinador.

Sem Lionel Messi, a Argentina contou boa parte de seus titulares – confira a escalação aqui. E tudo parecia dar certo quando, aos 27 minutos, o goleiro Daniel Akpeyi bisonhamente pegou uma bola fora da área, cedendo falta perigosíssima aos argentinos. Éver Banega aproveitou o posicionamento ruim do arqueiro para inaugurar o marcador. Nove minutos depois, seria a vez de Sergio Agüero aparecer, completando o passe de Cristian Pavón dentro da área. Pouco antes do intervalo, ao menos, a Nigéria respondeu. Kelechi Iheanacho cobrou falta com categoria, em lance no qual Agustín Marchesín foi com a mão mais mole do que deveria.

Logo no início do segundo tempo, porém, a Nigéria exploraria as falhas da defesa albiceleste. Aos sete, Alex Iwobi estava totalmente livre para completar o cruzamento de Iheanacho, após bom avanço de Wilfried Ndidi. Dois minutos depois, as Super Águias colocaram os argentinos na roda, com uma série de passes de primeira, até Bryne Idowu arrematar e decretar a virada. Por fim, o lance mais humilhante aconteceu no quarto tento. Aos 28, Iwobi aplicou uma caneta desmoralizante em Javier Mascherano, antes de emendar às redes. O caminhão de mudanças feitas por Sampaoli não ajudou.

Ao final, além da má impressão pelo péssimo segundo tempo, ficou a preocupação com Sergio Agüero, substituído no intervalo. O atacante desmaiou no vestiário, algo que já tinha ocorrido em outra ocasião na seleção. Está fora de perigo, mas foi encaminhado para o hospital, fazendo os exames pertinentes. Uma noite para a Argentina se esquecer. Ou ao menos se lembrar dos erros para não repeti-los. A claudicante defesa não soube lidar com um adversário veloz e ofensivo, algo que pode causar problemas rumo à Copa do Mundo.

Trivela

VOLTAR AO TOPO