Trivela

Copa do Mundo

A Croácia tem jogadores de qualidade, simbolizados pelo maestro Luka Modric. Jogadores experientes, como Mario Mandzukic, que gosta de aparecer em partidas decisivas. Mas, acima de tudo, tem uma entrega acima do comum. O gás nunca acaba. No total, a Croácia disputou 90 minutos a mais do que esperado em três prorrogações. Uma quarta partida inteira. E, em uma Copa do Mundo tão travada, em que o primeiro gol é importantíssimo, conseguiu mais uma virada. Saiu perdendo contra a Inglaterra, mas empatou. Levou um susto no começo da prorrogação, mas não se desanimou. Buscou o segundo gol e venceu por 2 a 1. Está na final da Copa do Mundo pela primeira vez em sua história. Curta, é verdade, mas muito rica. 

A benção do primeiro gol 

Kieran Trippier tem sido um dos grandes destaques da Inglaterra na Copa do Mundo. O homem que mais crias chances na seleção inglesa. Sua contribuição foi premiada com o gol que abriu o placar em Moscou: uma cobrança de falta muito bem executada da entrada da área. No torneio em que fazer o primeiro gol é talvez o ato mais importante das partidas, a Inglaterra começou o jogo da melhor maneira possível. 

Desperdício nos contra-ataques

Como contra a Colômbia, porém, a Inglaterra desperdiçou as chances que teve para contra-atacar no primeiro tempo. O gol de Trippier condicionou a partida ao prazer dos ingleses, que poderiam aproveitar a velocidade de Lingard e Sterling. Mas ambos não fazem uma Copa do Mundo muito boa em termos técnicos. Tomaram decisões erradas, erraram passes e finalizações, e os ingleses não conseguiram matar o jogo. 

Inglaterra em pânico

Incrível o efeito que um gol pode fazer no emocional dos jogadores. Ainda mais em jogadores tão jovens quanto os ingleses. A Inglaterra parecia no controle da partida e enfrentava uma Croácia sem inspiração e sem muita urgência, cruzando demais a bola na área. Mas um desses cruzamentos, de Vrsaljko, em uma rara subida à frente, já que está com condições físicas debilitadas, encontrou Perisic. O atleta da Inter antecipou-se a Trippier e a Walker e empatou. Logo em seguida, o próprio Perisic aproveitou a hesitação da defesa inglesa e acertou a trave. A Inglaterra perdeu o rumo. Nervosa, aceitou a pressão croata que, reenergizada, vinha por todos os lados e era intensa. Aguentar até a prorrogação foi um feito. 

Prorrogação

Pela terceira vez, a Croácia teve que passar pela prorrogação. Mas não precisou dos pênaltis. A Inglaterra teve uma única chance de passar à final da Copa, em um escanteio cobrado pela esquerda. Stones subiu livre para cabecear cruzado. E Vrsaljko tirou em cima da linha. Pickford precisou trabalhar em um centro de Perisic para Mandzukic, que conseguiu o desvio, mas parou no goleirão inglês. A defesa inglesa, tão sólida ao longo da competição, falhou no gol croata. Walker cortou mal, Perisic cabeceou para dentro da área, e Mandzukic apareceu para completar. E colocar a Croácia na final da Copa do Mundo.

Ficha técnica

Croácia 2 x 1 Inglaterra

Local: Estádio Luzhniki, em Moscou
Árbitro: Cuneyt Cakir (Turquia)
Gols: Kieran Trippier (ING); Ivan Perisic e Mario Mandzukic (CRO)
Cartões amarelos: Mario Mandzukic e Ante Rebic (CRO); Kyle Walker (ING)

Croácia: Danijel Subasic; Sime Vrsaljko, Dejan Lovren, Domagoj Vida e Ivan Strinic (Josip Pivaric); Marcelo Brozovic, Ivan Rakitic e Luka Modric (Milan Badelj); Ante Rebic (Andrej Kramaric), Ivan Perisic e Mario Mandzukic (Vedran Corluka). Técnico: Zlatko Dalic

Inglaterra: Jordan Pickford; Kyle Walker (Jamie Vardy), John Stones e Harry Maguire; Kieran Trippier, Jesse Lingard, Jordan Henderson (Eric Dier), Dele Alli e Ashley Young (Danny Rose); Raheem Sterling (Marcus Rashford) e Harry Kane. Técnico: Gareth Southgate

Trivela

VOLTAR AO TOPO