Trivela

Operário conquistou o título da Série D 2017 (Foto: José Tramontin/Operário-PR)

Lado B de Brasil

O Operário-PR é o primeiro campeão nacional de 2017. O time conquistou o título da Série D neste domingo, em Ponta Grossa, mesmo perdendo por 1 a 0 para o Globo-RN. Isso porque fora de casa o time praticamente garantiu a taça com um impressionante 5 a 0. Com isso, só um desastre tiraria a taça do Fantasma, o que não aconteceu. A derrota para o Globo acabou só tirando o aproveitamento de 100% que o time vinha no estádio Germano Krüger.

LEIA TAMBÉM: Botafogo executou bem seu plano de jogo contra Flamengo muito modificado no Engenhão

O time de Ponta Grossa, a 103 quilômetros de Curitiba, viveu temporadas de altos e baixos recentemente. O time foi campeão paranaense em 2015, superando o Coritiba na final de forma surpreendente, mas no ano seguinte foi rebaixado no mesmo Campeonato Paranaense. E na sua quarta participação na Série D, o time conquista o acesso à Série C para disputar uma divisão nacional mais acima. Estreou em 2010, jogou também em 2011 e voltaria a disputar o torneio só em 2015. Voltou em 2017 para, desta vez, subir. Será o único representante do Paraná na terceira divisão brasileira. Entrará no Grupo B. Substituirá Macáe e Mogi Mirim, ambos rebaixados.

Para chegar ao título, o Operário superou times de sete estados: Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul, Espírito Santos, Maranhão, Acre e Rio Grande do Norte. O título do Fantasma faz com que o Paraná se iguale a São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul como estados que conquistaram as quatro divisões do Campeonato Brasileiro.

O Fantasma foi líder no Grupo A15, que tinha ainda Brusque, XV de Piracicaba e São Paulo-RS. Foram seis jogos, quatro vitórias e duas derrotas. Nos jogos Eliminatórios, o Operário precisou superar dois capixabas. Primeiro, passou pela Desportiva Ferroviária com duas vitórias. Contra o Espírito Santos, a situação foi mais complicada. Perdeu fora de casa, em Cariacica, e venceu em casa, nos dois casos por 1 a 0. Venceu nos pênaltis por 4 a 2, sem desperdiçar nenhuma cobrança e vendo o adversário perder duas.

Nas quartas de final,  quando o confronto valia o acesso à Série C, o time foi novamente avassalador: 3 a 1 no Maranhão no Castelão, em São Luís, e nova vitória em casa por 2 a 1 no Estádio Germano Krüger. Com o acesso garantido, foi a vez de disputar o título. Contra o Atlético Acreano, jogo duro em Rio Branco e empate por 0 a 0 na ida. Na volta, 2 a 0 e vaga garantida na final.

A final foi um passeio diante do Globo. Em Ceará-Mirim, o time paranaense passou como um trator: 5 a 0. Neste domingo, 1 a 0 para os potiguares, mas acabou sendo pouco. O título fica em Ponte Grossa, que terá o desafio de tentar sobreviver na terceira divisão nacional em 2018.

Apesar da derrota do Globo, os nordestinos mantiveram uma marca impressionante na Série D. Em todas as nove edições do torneio, ao menos um nordestino conquistou o acesso. No total, são 13 clubes que já chegaram à Série C. No total por estados, 20 já conquistaram acessos. Amapá, Amazonas, Distrito Federal, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Roraima nunca conquistaram acessos. Um desafio que estará de novo em pauta em 2018.

Trivela

VOLTAR AO TOPO